Cloud Computing

Baixa latência: você sabe como garantir?

By abril 2, 2018 No Comments

Você já teve problemas de atraso no carregamento de aplicações baseadas na nuvem? Resultado da baixa latência da rede, ou a rapidez com que os dados são transferidos de um local para outro, esses atrasos são frustrantes para os usuários finais, mas são muito mais onerosos para os negócios que dependem de experiências e serviços rápidos.

Com um maior uso da computação em nuvem, colocando demandas adicionais sobre a velocidade e a conectividade da Internet, a latência está se tornando uma preocupação mais crítica para todos, desde a pequena até a grande empresa.

Mas como garantir a baixa latência? É sobre isso que falaremos no post de hoje! Continue lendo e veja como eliminar esse problema da sua TI.

O que pode aumentar o tempo de latência

Na era pré-Internet, a latência era caracterizada pelo número de hops do roteador entre você e seu aplicativo, e o atraso que os pacotes levavam para chegar da origem ao destino. Na maior parte, sua empresa era proprietária de todos os roteadores, então os atrasos na rede permaneciam bastante consistentes e previsíveis.

À medida que as empresas migraram e implantaram mais e mais aplicativos na nuvem, a questão da latência está se tornando cada vez mais complexa. Para alavancar a computação em nuvem como um verdadeiro facilitador de negócios, é fundamental que as organizações aprendam a gerenciar e reduzir a latência.

O primeiro passo para a baixa latência é identificar suas causas. Para fazer isso, devemos examiná-la não como se relaciona com a web, mas como se relaciona com os componentes inerentes da computação em nuvem.

Após algumas análises, você verá que é a natureza imprevisível das várias conexões de rede entre aplicações locais e em nuvem que podem causar problemas. Abaixo, nós fornecemos algumas das camadas de complexidade que podem impactar a latência na hora de migrar aplicativos para a nuvem:

  • A computação distribuída é um componente que aumenta a complexidade da latência da nuvem. Com os centros de dados corporativos sendo uma coisa do passado, a natureza dos aplicativos mudou completamente de serem contidos dentro de uma infraestrutura local para serem distribuídos em todo o mundo. O problema reside no fato de que esses aplicativos têm vários graus de latência com cada uma das conexões da Internet. Além disso, as latências dependem inteiramente do tráfego da Internet, o que encerra e diminui a concorrência para a mesma largura de banda e infraestrutura;
  • A virtualização de servidores adiciona outra camada de complexidade à latência na nuvem. Para trás ficaram os dias de servidores montados em rack; as empresas estão construindo ambientes virtualizados para consolidação e eficiência de custos, e os centros de dados de hoje são agora uma rede complexa de hypervisors que executam dúzias de máquinas virtuais. Infelizmente, a infraestrutura de rede virtualizada pode apresentar sua própria série de atrasos de pacotes antes que os dados deixem o próprio rack;
  • Outra camada de complexidade reside na falta de ferramentas de medição para aplicações modernas. Enquanto o ping e o traceroute podem ser usados ​​para testar a conexão com a Internet, as aplicações modernas não têm nada a ver com ICMP, o protocolo por trás desses dispositivos de rastreamento. Em vez disso, as aplicações e redes modernas usam outros protocolos, como HTTP e FTP, e, portanto, precisam tentar medir suas performances de acordo;
  • Diferentes aplicações em nuvem têm tolerâncias diferentes para a latência da rede, dependendo do seu nível de criticidade; enquanto um aplicativo que controla relatórios de back-office pode tolerar menor tempo de atividade, nem todos os processos corporativos podem permitir o tempo de inatividade sem ter um impacto significativo no negócio. Isso torna cada vez mais importante que os SLAs priorizem aplicativos específicos com base no desempenho e na disponibilidade.

Como resolver o problema de latência

Gerenciar e cuidar de todos essas questões pode parecer muito para sua equipe de TI, e é. Não é a toa que a melhor solução para adotar a computação em nuvem é a terceirização da sua infraestrutura por meio da virtualização. Isso faz com que todos esses problemas passem a ser de responsabilidade do seu provedor.

Mas como garantir que você faça a melhor escolha? Os provedores de nuvem evasivos, que às vezes negligenciam informá-lo sobre onde seus centros de dados da nuvem estão localizados, também podem complicar a latência. Para realmente entender o que eles fornecem, você deve conhecer as respostas às seguintes perguntas:

  • As suas VMs são armazenadas em diferentes hypervisors, por exemplo?
  • Você terá alguma opinião em decisões que afetarão sua própria latência?
  • Quantos hops do roteador estão na rede interna do provedor da nuvem e qual largura de banda é usada em sua própria infraestrutura?

Você também pode dar uma olhada no nosso post com dicas para escolher a melhor solução de cloud para sua empresa e assegurar que a latência nunca mais seja um problema!

Leave a Reply